Notícias

25
jul

A aprendizagem na comunidade gaiana

Na Educação Gaia, acreditamos que a aprendizagem se dá na interação, nas trocas de saberes entre o próprio grupo. Assim como Paulo Freire, sabemos que do grupo emerge a inteligência coletiva, e que o conhecimento gerado por todos é bem maior do que a soma dos conhecimentos individuais. Por isso aqui não temos professores, “aqueles que professam” como detentores de todos os conhecimentos, versus alunos, ou “alumni”, palavra latina que quer dizer “sem luz”, aqueles que não sabem e estão ali para aprender. Mas temos facilitadores, que possuem ferramentas e técnicas que facilitam os processos de aprendizagem, e focalizadores, que trazem o foco das aprendizagens para as necessidades que o grupo manifesta. No Curso Educação Gaia, todos estão para aprender com experiências compartilhadas, e não de um único indivíduo, o que enriquece a nossa convivência, criando elos profundos para além do curso — para a vida. Mesmo após o término das aulas, mantemos relações com a nossa comunidade de aprendizagem gaiana em nossas vidas, porque aprendizagem nunca termina.

Além de uma abordagem inter e a transdiciplinar do conhecimento, acreditamos também que a aprendizagem se processa nos 4 planos do Ser: físico, emocional, mental e espiritual. A maioria de nossas escolas e cursos tradicionais ainda privilegia a aprendizagem pelo campo mental, pelo pensamento, menosprezando os demais planos. Sobre o tema, certamente reconhecemos que nos é muito útil poder acessar o imenso acervo de conhecimentos acumulados pela humanidade nos últimos milênios por linguagens convencionais (o texto, a fala, a imagem) por permitir que nossas reflexões partam de um ponto amadurecido pela cooperação dos inumeráveis pensadores e pesquisadores que vieram antes de nós. Mas não é o fato de esses conhecimentos estarem todos aí que faz com que nos apropriemos deles. O que a própria Internet, detentora de tantas informações, sabe? Nesse ponto é que entra o papel da emoção.

aula-IMG_0142

Aula com o facilitador Edgard Gouveia – turma 2014

Aprendemos aquilo que nos toca, nos mobiliza, o que o nosso desejo quer incorporar no nosso ser. Não é qualquer coisa que ouvimos ou lemos que passa a fazer parte de nós e, se além do plano emocional, ela passar pelo plano físico, se a dançarmos ou a cantarmos, se conversarmos sobre ela enquanto estamos amassando o barro e depois o jogando na parede como nas aulas práticas de bioconstrução, essa memória fica também nas células de nosso corpo físico. Abarcando os demais há o plano espiritual, que é o que dá sentido a todos os outros, já que nossa caminhada nesta terra, da qual fazem parte todas as aprendizagens, é em busca de mais consciência e evolução. Essa atenção e cuidado com a aprendizagem espiritual é um grande diferencial da Educação Gaia. Obviamente aqui não estamos falando em espiritualidade no sentido de nenhuma religião específica, mas como consciência de pertencimento. Nenhuma religião é propagada pelo Gaia e todas são respeitadas em sua busca pela verdade.

Nos depoimentos dos e das participantes do curso, sempre é muito valorizado o reconhecimento de que os nossos facilitadores e focalizadores são pessoas como todos nós, com o diferencial de terem acumulado, em suas próprias vidas, as experiências e práticas que trazem para nossas reflexões. Nossa busca interior por ser, pensar e agir de acordo com o que realmente acreditamos é que pode trazer a verdadeira mudança em nossas vidas, permitindo nos recriarmos como agentes da transformação por um mundo melhor. Assim seja!

Autora: Lena Ferreira | Coordenadora Pedagógica do curso Educação Gaia Brasília 2015.

Leave a Reply